Projeto de Implantação do Ambulatório de Pediatria do Desenvolvimento da Primeira Infância

Introdução

Este projeto é uma parceria da Cooperativa dos Pediatras do Ceará, do Instituto da Primeira Infância-IPREDE e do Setor de estudos: Pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará.

Objetiva desenvolver iniciativas para criar e consolidar a área de atuação denominada Pediatria do Desenvolvimento que se dedica a estudar e prestar assistência a crianças e adolescentes com problemas de comportamento, de desenvolvimento e de aprendizagem; tais problemas conformam a nova agenda da Pediatria depois de conquistas significativas na sobrevivência das crianças com os programas sanitários e sociais dos últimos 35-40 anos. O pediatra dessa área deverá alcançar uma capacitação de excelência e experiência nos aspectos médico-sociais, psicológicos e neurocientíficos relacionados com esses problemas.

Como primeiro passo nessa direção estratégica, apresenta-se aqui a proposta de instaurar um Ambulatório de Pediatria do Desenvolvimento da Primeira Infâncianas dependências doInstituto da Primeira Infância (IPREDE/projeto de Extensão do setor de estudos: Pediatria da Faculdade de Medicina/UFC) que desenvolva atividades de assistência, formação de profissionais e pesquisa na área de atuação da Pediatria do Desenvolvimento.

Como imagem-objetivo a alcançar, aqui se utiliza a definição de Pediatria do Desenvolvimento da Academia Americana de Pediatria:

– É o campo de atuação do pediatra que se dedica a estudar e atender crianças e adolescentes com problemas de comportamento, de desenvolvimento e de aprendizagem; a partir de sólida capacitação e experiência nos aspectos médicos, psicológicos e neurocientíficos relacionados com os problemas acima descritos.Os pediatras do desenvolvimento avaliam, assessoram e prestam atendimento as crianças, adolescentes e suas famíliaspara umaampla variedade de dificuldades no desenvolvimento e comportamento, incluídos os seguintes problemas:

  • Distúrbios de aprendizagem, incluindo dislexia, dificuldades de escrita, distúrbios de matemática e outros problemas de aprendizagem relacionados à escola.
  • Transtornos de atenção e do comportamento, incluindo transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e condições associadas, incluindo comportamento negativo desafiador, problemas comportamentais, depressão e transtornos de ansiedade.
  • Distúrbios de regulação, incluindo distúrbios do sono, problemas alimentares, problemas de disciplina, enurese (incontinência urinária) e encoprese (incontinência fecal).
  • Dificuldades do desenvolvimento, incluindo paralisia cerebral, espinha bífida, retardo mental, distúrbios do espectro do autismo, deficiências visuais e auditivas.
  • Atraso no desenvolvimento da fala, linguagem, habilidades motoras e capacidade de raciocínio.
  • Problemas emocionais de início precoce.

Um pediatra especializado em problemas de desenvolvimento e comportamento trabalha geralmente em colaboração com uma equipe de profissionais. Esta equipe pode incluir um psicólogo, um fonoaudiólogo, um terapeuta ocupacional, um fisioterapeuta, um psiquiatra infantil, um neurologista infantil, um profissional de enfermagem, um médico assistente, um especialista em diagnosticar distúrbios de aprendizagem e um assistente social.Tanto o Pediatra do Desenvolvimento como os outros profissionais da equipe realizam seu trabalho em estreita colaboração com pais, famílias e escolas.
Essa iniciativa quer pensar estrategicamente os passos necessários para alcançar a formação desse perfil de pediatra. Este é, concretamente, o primeiro!

Coordenação e Instituições

Os coordenadores e instituições parceiras nesse projeto são:

  • IPREDE e Pediatria/UFC: Prof. Sulivan Mota e Prof. Álvaro Madeiro Leite
  • COOPED: Dr José Osmiro Barreto e Dra Francisca Lúcia do Carmo

Sumário da Proposta

  1. Implantação do Ambulatório de Desenvolvimento da Primeira Infância
  2. Local: IPREDE/Projeto de Extensão do setor de estudo: Pediatria/Faculdade de Medicina-UFC
  3. Período: 2018/2020 (duração de dois anos). Previsão de início: agosto/2018
  4. Objetivo geral:
    • Implementar atividades de assistência, capacitação de profissionais e pesquisa relacionados ao tema do DESENVOLVIMENTO e COMPORTAMENTO das crianças, na primeira infância.
  5. Recursos Humanos:
    • Equipe de Profissionais Assistentes: fará atendimento diário às crianças.
      • Pediatras: 5 profissionais (parceria COOPED/IPREDE-UFC)
      • Enfermeiras: 3 profissionais (funcionários do IPREDE e parceria com a UNIFOR).
      • Assistente social: 3 profissionais (funcionários do IPREDE).
    • Equipe de Intervenção Precoce: funcionários do IPREDE (terapeuta ocupacional, fonoaudióloga, fisioterapeutas e psicólogos) e/ou de instituições parceiras.
    • Equipe de Consultores/Supervisores: profissionais voluntários, convidados pelo IPREDE e/ou pela COOPED.
      • Neuropediatria: Prof. Lucivan Miranda (Nutep/UFC) e Dra. Norma Costa (EBSERH/UFC)
      • Psiquiatria: Dra. Patrícia Sá, Dra. Thaís Feitosa e Dr. Alexandre Aquino.
      • Psicanalistas: Dra. Haydée Brito (SPFOR), Dra. Silvana Barros (SPFOR), João Vicente Menescal (IPREDE), Beatriz Sernache (IPREDE), Elisa Parente Costa (IPREDE), Maíra Guará (IPREDE) e Raquel Barreira (IPREDE/Faculdade Christus).
      • Neurociência: Profa. Andrea Quesada(UNIFOR).
  1. Estratégias iniciais:
    • Realização de um Curso de Atualização em Pediatria, em parceria Instituto da Criança da Universidade de São Paulo (ICr-USP), COOPED, IPREDE e Pediatria-UFC. Está desenhado em 5 módulos (10 horas, cada), periodicidade quinzenal. Tanto o agendamento como a programação estãodisponíveis na homepage da COOPED (www.coopedce.com.br). Anexo 1. Essa atividade já estava programada previamente.
    • Atividades de formação e aperfeiçoamento concomitantes (etapa de dispersão do curso); versará sobre temas fundamentais para aprimorar as habilidades da equipe de profissionais assistentes (bases neurocientíficas do desenvolvimento; adversidades precoces na infância e estresse tóxico; teoria do apego; constituição subjetiva; indicadores de intersubjetividade). Anexo 2.
  2. Atividades de Assistência (Anexo 3 e 4):
    • Organização de um Sistema de Informação Eletrônico
    • Atendimento clínico: semana típica, turno da manhã, de 8 às 12 horas.
    • Aplicação dos formulários: preenchimento dos prontuários e aplicação dos instrumentos de triagem:SWYC, ASQ-SE, CREDI, CBCL, M-CHAT, (Paula, 2018), CARS, BAYLEY, IRDI (indicadores de intersubjetividade), Sensibilidade parental, Estilos de relacionamento e Padrões de apego.
      • Anamnese e exame clínico – [referenciais: Método clínico centrado no paciente. Métodos narrativos. Escuta empática]
      • Anamnese e exame neurológico.
      • Anamnese e exame psicológico
      • Anamnese e exame psiquiátrico.
      • Estudo da Sensibilidade Parental.
      • Estudo dos Estilos de Relacionamento/Padrões de Apego
  1. Atividades de pesquisa
  2. Atividades de supervisão/consultoria

 

Anexo 1

Pediatria do Desenvolvimento

Módulo Conteúdo Data Facilitador
1º. Fundamentação teórica do desenvolvimento infantil – aspectos atuais

O estresse tóxico e o desenvolvimento

Desenvolvimento típico na primeira infância

31/08

 

Sandra Grisi

Ana Paula Scoleze

1º. Diagnóstico diferencial dos principais problemas do desenvolvimento na primeira infância

Avaliação do desenvolvimento: triagem e vigilância

Sinais precoces de sofrimento psíquico

01/09 Sandra Grisi

Ana Paula Scoleze

2º. Orientação para promoção do desenvolvimento nas diversas fases da criança.

Desenvolvimento das Funções executivas: como usar todas as oportunidades no lar e na escola

Quando encaminhar a criança para avaliação especializada?

14/09 Ana Paula Scoleze

Alexandra Brentani

2º. O papel do Pediatra na promoção do Desenvolvimento da criança.

A Consulta pediátrica com ênfase no Desenvolvimento da Criança

A Clínica de Desenvolvimento infantil: qual sua conformação?

15/09 Ana Paula Scoleze

Alexandra Brentani

3º. Desenvolvimento e aprendizado da criança na fase escolar

O papel da escola e seus efeitos na criança

Dificuldades de aprendizagem

21/09 Ana Maria Escobar

Ana Cecilia Sucupira

 

3º. Problemas mais frequentes de comportamento

Dificuldades alimentares

Problemas de identificação de gênero

22/09 Ana Maria Escobar

Ana Cecilia Sucupira

– APEGO:

Sensibilidade Parental

Teoria do Apego

Intervenções em Apego

– Instrumento de Avaliação Sócio emocional (SWYC)

05/10/18 Álvaro Madeiro

João Vicente

Andrea Machado

– Identificação da criança com problemas na constituição subjetiva

– Os sinais “positivos de desenvolvimento”

– Os sinais de “sofrimento precoce”

[série barulhenta; série silenciosa]

– Interface Pediatria-Psicanálise

– Intervenção Psicanalítica Precoce

06/10/18 Álvaro Madeiro

Haydée Brito

Beatriz Sernache

Elisa Parente

Maíra Guará

– TDAH: definição, avaliação e terapêutica

– Mitos e Verdades do TDAH

– Adversidades precoces na infância. Estresse tóxico

19/10/18 Sophie Eickmann

Alexandre Aquino

Álvaro Madeiro

– Transtornos do Espectro Autista

– Instrumentos de triagem e diagnóstico em TEA

– Existe protocolo de tratamento do TEA?

20/10/18 Lucivan Miranda

Sophie Eickmann

Álvaro Madeiro


Anexo 2

Atividades de formação e aprimoramento

Seminários (4h)

Tópico Data Colaboradores
1.      SWYC Álvaro Madeiro Leite

Francisca Lúcia

2.      M-CHAT. CARS Álvaro Madeiro Leite

Lucivan Miranda

3.      IRDI

– Identificação da criança com problemas na constituição subjetiva

– Os sinais “positivos de desenvolvimento”

– Os sinais de “sofrimento precoce”

[série barulhenta; série silenciosa]

– Interface Pediatria-Psicanálise

– Intervenção Psicanalítica Precoce

 

Beatriz Sernache

Elisa Parente

Maíra Guará

Álvaro Madeiro Leite

4.      Adversidades precoces na infância [ACEs]. Estresse tóxico Álvaro Madeiro Leite

João Vicente.

Thaís Feitosa

5.      O ciclo primário de cuidar: MISC/ICDP Álvaro Madeiro Leite

João Vicente

Elisa Parente

6.      Teoria do apego

[sensibilidade parental; padrões de apego; intervenções em apego]

Álvaro Madeiro Leite

João Vicente Menescal

Andrea da Luz Machado

7.      Bayley

 

João Vicente

Edda Araújo

Andrea Quesada

8.      AIMS Grupo do NUTEP
9.      Entrevista psiquiátrica [anamnese + exame clínico] Alexandre Aquino
10.   Entrevista psicológica [anamnese + exame clínico] João Vicente
11.   Entrevista psicanalítica [anamnese + exame clínico] Maíra + Elisa + Silvana Araújo + Haydée Brito
12.   Entrevista neurológica [anamnese + exame clínico] Lucivan Miranda


Anexo 3

Sistemática de trabalho das equipes de assistência clínica e consultoria/supervisão

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta
Manhã  

Pediatra 1

 

Pediatra 2 Pediatra 3 Pediatra 4 Pediatra 5
Supervisão Pediátrica Álvaro Leite Angelita Castro Francisca Lúcia Álvaro Leite

Angelita Castro

Atividades de Consultoria Mensal (em um sábado de 9às 12h).

SEMINÁRIOenfatizando aportes teóricos e apresentação de casos, com a participação das especialidades: psiquiatria, psicologia,psicanálise,neuropediatrae neurociência.

Atividades de Supervisão

(equipe interdisciplinar)

Profissionais:

– terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, pedagogo, psicólogo e psicanalista.

 

Anexo 4:

Atividades a serem desenvolvidas pelos pediatras assistentes

[atividades que já são desenvolvidas no IPREDE]

Atividades Local
Observação e estudo da Sensibilidade parental Sala de filmagem – SSE
Observação e estudo dos padrões de apego Sala de filmagem – SSE
Observação e estudo da “Intervenção Relacional” Sala de filmagem – SSE
Observação e estudo do setor Mediação [MISC/ICDP] Sala de mediação + SSE
Observação e estudo para Intervenção Psicossocial Setor colhimento
Realização de atendimento clínico
Implementação de Protocolos de pesquisa
Participação em atividades de ensino
Realização de consulta pré-natal [centrada no apego]
Seguimento de crianças no 1º ano de vida

 

Textos/Vídeos/Filmes de referência/Literatura

  1. Manual do Comitê de Comportamento e Desenvolvimento da SBP
  2. Indicadores de Risco para o Desenvolvimento Infantil (IRDI). Alfredo Jerusalinsky
  3. Desarrollo emocional. Clave para la primera infancia. Fondo de las Naciones Unidas para la Infancia (UNICEF), Fundación Kaleidos, abril de 2012.
  4. Indicadores de intersubjetividade. Victor Guerra
  5. A Clínica Precoce: O Nascimento do Humano. Casa do Psicólogo. 2004
  6. Brazelton TB. Momentos decisivos do desenvolvimento infantil. Martins Fontes, 2002.
  7. Brazelton TB. Necessidades essenciais da criança. Martins Fontes
  8. Brazelton TB&Sparrow JD.Dominando a raiva e a agressividade.O método Brazelton. Artmed. 2006.
  9. Brazelton TB &Sparrow JD. Disciplina. O método Brazelton. Artmed. 2005.
  10. Brazelton TB &Sparrow JD. Alimentando seu filho. O método Brazelton. Artmed. 2005.
  11. Brazelton TB &Sparrow JD. Acalmando seu impaciente bebê. O método Brazelton. Artmed. 2005.
  12. Brazelton TB & Sparrow JD. O método Brazelton. Artmed. 2005.
  13. Brazelton TB&Sparrow JD.Momentos decisivos do desenvolvimento infantil (3 a 6 anos). Martins Fontes. 2003.
  14. Gerhardt S. Por que o amor é importante. Artmed. 2017.
  15. Prevenindo a violência pela aprendizagem na primeira infância. http://www.excellence-jeunesenfants.ca/documents/Tremblay_RelatorioAgressao_PRT.pdf
  16. Thirty million of words. http://tmwcenter.uchicago.edu/
  17. Batista, A &Jerusalinsky, J (org). Intoxicações eletrônicas: o sujeito na era das relações virtuais. Ágalma, 2017.
  18. Ministério da Saúde. Linhas de cuidado
  19. Vídeo “Caminhando com Tim Tim”. GeniferGerhardt
  20. Documentário “O começo da vida”. Estela Renner (diretora)
  21. Hundeide K. O ciclo primário de cuidar (www.icdp.info)
  22. Jerusalinsky A. Psicanálise e Desenvolvimento Infantil. Artes e Ofício. 2007. 4ª ed.
  23. Receite um livro: fortalecendo o desenvolvimento e o vínculo: a importância de recomendar a leitura para crianças de 0 a 6 anos. São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria, 2015.